Festival Brasileiro da Cerveja 2016: Novidades da curitibana Ogre Beer

Fala piazada!

Tudo tranquilo?

Vem novidade da Ogre Beer por aí e olha…vale a pena ficar de olho!

 

Ogre Beer

Ogre Beer

 

Na próxima semana começa o Festival Brasileiro da Cerveja – em Blumenau – e a Ogre Beer  apresentará suas três novas receitas. Que aliás, pra gente, estão entre as mais diferentes e interessantes do festival até agora! Saca só:

 

Jacu ao Quadrado 

Imagem: Examiner.com

Imagem: Examiner.com

Baseada na premiada Strong Lager Jacu do Mato, que leva adição de pinhão e melado de cana e foi premiada com medalhas de prata e ouro nas últimas edições do Concurso Brasileiro de Cervejas. Partindo da receita original, a Jacu ao Quadrado leva ainda Café Jacu Bird (não conhece? Então clique aqui e veja que loucura!), produzido organicamente nas montanhas do Espirito Santo. O método de produção do Jacu Bird e semelhante ao do famoso Kopi Luwak: uma vez tendo ingerido os frutos, o pássaro Jacu elimina os grãos, que são colhidos manualmente pela equipe da fazenda, secos, limpos e após um período de descanso, torrados para consumo.

Segundo Carlos Manuel, sócio da Ogre “além da óbvia associação com o nome, escolhemos o Jacu Bird por ele ter um sabor distinto e níveis adequados de acidez e oleosidade, que harmonizam com as características da Jacu do Mato” .

 

Psycho Bitter

Uma ESB  que segue a tradição britânica. “A escola inglesa é uma das mais interessantes e ainda é muito pouco explorada no mercado brasileiro. Nosso objetivo aqui foi trazer uma cerveja de alta drinkability e perfil maltado distinto”, explica Sebastião Singer, também sócio da cervejaria.

A Psycho Bitter é elaborada com o tradicional malte Maris Otter, considerado uma das variáveis mais Premium existentes. A Psycho Bitter ainda trás 40 IBU e 5,1% de álcool.

 

Gengibier

Para nós, a mais esperada! É uma Session IPA com extrato de gengibre. Essa bera é baseada em uma gasosa MUITO popular em Curitiba e levará leves notas cítricas e condimentadas, além de toques terrosos típicos do gengibre.

É a nossa tubaína, para refrescar em dias de calor, quando naturalmente a vontade de beber cerveja aumenta!”, é o que diz Ricardo Seara, que completa o trio de socios da Ogre.

A Gengibier possui 42 IBU e 4,4%ABV.

Fechando as novidades, estará de volta, após uma ausência de dois anos, a Ogre Beer Über Lager. Primeira Califórnia Common (também conhecida por Steam Beer) produzida no Brasil, a Über Lager é uma cerveja híbrida que carrega características tanto de Lagers quanto de Ales. Com notas frutadas, corpo leve e presença marcante de lúpulo – graças aos seus 45 IBU e dry hopping de northern brewer – que tornam a cerveja facílima de se beber.

A Ogre também chegará ao Festival com suas já conhecidas  Chaparrita, Witbier com pimenta; Django Cigano, Belgian IPA com 5 adições de lúpulo e 71 IBU; além da famosa Rauchbier Caldo de Bituca.

 

Sobre a OGRE BEER

A Ogre Beer é uma das pioneiras na cena cervejeira paranaense. Suas primeiras receitas foram originadas na panela dos sócios da empresa em 2009, mas foi após terem vencido o principal concurso nacional de cervejas em 2010 com a São Seba, e as participações em festivais nos anos seguintes que resolveram levar o negócio adiante.

A Ogre Beer opera no modelo de cervejaria cigana, contratando outras cervejarias para a produção de suas criações. Sempre primando por estilos inovadores (a cerveja que venceu o concurso em 2010 foi a primeira produzida comercialmente no brasil a levar pimenta na receita) ou pouco usuais, os sócios Carlos de Manuel, Sebastiao Singer e Ricardo Seara também fazem questão de fugir do politicamente correto: o slogan da cervejaria é “Ogre Beer. Só não harmoniza com frescura”, alfinetando a onda gourmetizadora que tem tomado o mercado de assalto.

Certamente nossas cervejas podem casar com pratos de elaboração sofisticada em ocasiões formais. Mas isto não pode fazer com que a bebida perca sua essência, que é informal, da mesa do boteco e da beira da churrasqueira”.

 

Receitas premiadas 

A Ogre Beer em apenas duas participações no concurso brasileiro de cervejas já arrematou cinco medalhas, sendo três delas de ouro.  Em 2015 os ouros foram para a Jacu do Mato, uma lager forte com adição de pinhão e melado de cana (também vencedora de prata no ano anterior) e a Brown Spider, cerveja da escola inglesa com notas de malte e caramelo. A defumada Caldo de Bituca levou o ouro em 2014. Completa a relação de prêmios a Chaparrita, bronze na disputada categoria Specialty Beer, para receitas especiais como esta que leva coentro, cascas de laranja e três tipos de pimenta na sua composição.

Saúde e nos vemos em Blumenau!

André

André

Fundador em cwbeerfood
André

Últimos posts por André (exibir todos)

Deixe uma resposta